segunda-feira, 26 de novembro de 2007

TORPE E BANAL

segunda-feira, 26 de novembro de 2007
A poesia, em rumos diversos,
Escapa-se do entender,
Não é expressa em versos,
E não se a pode escrever.

Buscai somente o sentido,
Da forma alheia e discreta,
Do algo incompreendido,
Que se perdeu do poeta.

Mas se atrevido, entretanto,
Ainda a quiseres buscar,
Deixai o meu livro de canto,
Que assim a irás encontrar.

O.T.Velho

3 comentários:

Bruno R.Ramos disse...

Oi Torquato!
Esse poema é dos melhores que li na net até hoje. Sem exacerbação, é claro! Lamento não tê-lo junto a "Nova Coletãnea". A comunidade é essa: http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=23288713

Mas queria que voc~e pensasse na possibilidade de publicar conosco.

Um abraço

Jéssica V. Amâncio disse...

Olá.Adorei seus poemas!!
E interessante que você só faça eles com três estrofes ;)
Adorei mesmo.

Sereia Noturna disse...

Parabéns poeta! Gostei de tuas obras.

 
Conservatório Íntimo © 2008. Design by Pocket