quinta-feira, 12 de junho de 2008

FOBIA

quinta-feira, 12 de junho de 2008
Como é difícil ir além,
Da distância não medida,
Entre o nada que se tem,
E a meta pretendida.

É uma variante concreta,
Cuja única importância,
É o seguimento, a reta,
E o perder-se na distância.

Pretender é só um vício,
Uma água estagnada,
Que corrompe o desperdício,
E transforma tudo em nada.

O.T.Velho

2 comentários:

Sonia disse...

Maravilha Ozanã!!!
*
Tu és o bardo que alcança
mais fundo o meu coração...
Trazes alento e esperança
ao meu vício da ilusão!

(Sônia Tarassiuk)

Liza Leal disse...

Lindo d+! Obrigada pelos poemas em meu orkut! =)...

 
Conservatório Íntimo © 2008. Design by Pocket