quarta-feira, 25 de junho de 2008

CARAVELAS

quarta-feira, 25 de junho de 2008
Digo que as caravelas são,
O meu anseio de conhecer,
Nos mares que existirão,
Aqueles que não posso ver.

Ergo os olhos do penhasco,
Para além de ver o mar,
Sou um navio sem casco,
E desisti de navegar.

Pois no abismo derradeiro,
Do horizonte sem vela,
Me tornei o mundo inteiro,
E perdi-me caravela.

O.T.Velho

2 comentários:

Jorge de Barros disse...

Fala, Ozanã!
Vem cá, com essas quadras tão ajeitadinhas, você não pensou nunca em fazer cordel?
Abraço!

Rayanne Seidel disse...

Olá!
Adorei os textos, estão muitíssimos bem escritos!
Tenha uma ótima semana e um Blog cheio de visitas!
Ray.

 
Conservatório Íntimo © 2008. Design by Pocket